quinta-feira, 24 de setembro de 2009

ADJUNTO ADONOMINAL

O texto abaixo foi extraído da Gramática de Pasquale Cipro Neto



Adjunto adnominal e' o termo que caracteriza um substantivo sem a intermediação de
um verbo. Sob a ótica da morfossintaxe, pode-se dizer que é uma função adjetiva da
oração, sendo, portanto, desempenhada por adjetivos, locuções adjetivas, artigos,
pronomes adjetivos e numerais adjetivos. Em qualquer função sintática que desempenhe,
o substantivo pode ser caracterizado por um ou mais de um adjunto adnominal.
Observe:
As nossas primeiras experiências científicas fracassaram.
Nessa oração, "as nossas primeiras experiências científicas" é sujeito. O núcleo desse
sujeito é o substantivo experiências. Relacionados a ele, caracterizando-o, estão os
adjuntos adnominais as, nossas, primeiras e científicas (respectivamente, um artigo, um
pronome adjetivo possessivo, um numeral adjetivo ordinal e um adjetivo).

Foi socorrido pelos dois médicos do hospital. Nessa oração, "pelos dois médicos do
hospital" é agente da passiva. O núcleo desse agente da passiva é o substantivo médicos,
caracterizado pelos adjuntos adnominais os (artigo da contração per + os), dois (numeral
adjetivo) e do hospital (locução adjetiva).

Para perceber como o adjunto adnominal faz parte efetiva do mesmo termo sintático que
tem o substantivo como núcleo, basta substituir esse termo por um pronome
substantivo: como estão diretamente subordinados ao substantivo, sem qualquer
intermediação verbal, os adjuntos adnominais desaparecem quando da substituição.
Observe:
A nova política salarial prejudica os trabalhadores de menor poder aquisitivo.
Ela prejudica-os.
"A nova política salarial" e "os trabalhadores de menor poder aquisitivo" são,
respectivamente, sujeito e objeto direto da oração. Subordinados aos núcleos dessas
funções - os substantivos política e trabalhadores - os adjuntos adnominais desaparecem
quando são substituidos pelos pronomes substantivos ela e os.

Essa percepção de que o adjunto adnominal é sempre parte de um outro termo sintático
que tem como núcleo um substantivo é importante para diferenciá-lo do predicativo do
objeto.
Observe:
Noel Rosa deixou uma obra riquíssima.

Nessa oração, riquíssima é adjunto adnominal de obra, que é o núcleo do objeto direto.
Se substituíssemos esse objeto direto por um pronome pessoal, obteríamos "Noel Rosa
deixou-a".
Sua atitude deixou seus amigos perplexos.
Nessa oração, perplexos é predicativo do objeto direto "seus amigos". Se
substituíssemos esse objeto direto por um pronome pessoal, obteríamos: "Sua atitude
deixou-os perplexos". Perceba que perplexos não é parte do objeto direto, e sim um
termo sintático relacionado também com o verbo da oração.

- nota da ledora: quadrinho de desenho, dos soldado na trincheira, com a seguinte
legenda: - Dorme idiota! Os comandos inimigos não fazem ruídos!
- fim da nota.
Adjuntos adnominais: os e inimigos.
- nota da ledora: quadro de destaque na página:
É comum confundir adjunto adnominal na forma de locução adjetiva com complemento
nominal. Para evitar essa confusão, considere o seguinte.

a) somente os substantivos podem ser acompanhados de adjuntos adnominais; já os
complementos nominais podem ligar-se a substantivos, adjetivos e advérbios. É óbvio,
portanto, que o termo ligado por preposição a um adjetivo ou a um advérbio só pode ser
complemento nominal;
b) os complementos nominais são exigidos pela transitividade do nome a que se ligam;
indicam, portanto, o paciente ou o alvo da noção expressa pelo substantivo. Já os
adjuntos adnominais indicam o agente ou o possuidor da noção expressa pelo
substantivo. Observe:
- Os investimentos da iniciativa privada em educação e saúde deveriam ser
proporcionais aos lucros de cada empresa. Nessa oração, o sujeito é "os investimentos
da iniciativa privada em saúde e educação". O núcleo desse sujeito é o substantivo
investimentos; presos a esse núcleo por meio de preposição há os termos "da iniciativa
privada" e "em educação e saúde". Observe que o primeiro indica o agente ou possuidor
dos investimentos (é a iniciativa privada que investe), enquanto o segundo indica o
paciente ou alvo desses investimentos (saúde e educação recebem esses investimentos).
"Da iniciativa privada" é adjunto adnominal, enquanto "em saúde e educação" é
complemento nominal.
- fim do quadro.

ATIVIDADES
1. Faça a análise sintática das frases seguintes. Indique quais são os núcleos das
diferentes funções sintáticas e os adjuntos adnominais que se subordinam a eles.
a) Um novo comportamento empresarial deve ser incentivado.
b) Muitos candidatos despreparados pedem votos pouco críticos a eleitores
desinteressados.
c) Os garimpeiros têm transmitido doenças graves aos índios da Amazônia.
d) Um redator eficiente deve comunicar informações claras e realmente importantes ao
público interessado.
2. Explique por meio de seu conhecimento das funções sintáticas a ambiguidade da
seguinte frase: "Não posso julgar aquela atitude inusitada".
3. Explique por meio de seu conhecimento das funções sintáticas a ambiguidade das
frases seguintes.
a) Não serei mais um pichador desta cidade!
b) É absurdo que tenhamos medo de criança!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário