quinta-feira, 24 de setembro de 2009

AS FRASES E A PONTUAÇÃO

As informações abaixo foram extraídas do Manual de língua portuguesa do professor Pasquale Cipro Neto:


Uma frase é um conjunto de elementos lingüísticos estruturados para que se concretize a
comunicação. Na língua oral, esses conjuntos se estruturam em sequências cuja
ordenação em boa parte é feita por recursos vocais, como a entoação, as pausas, a
melodia e até mesmo os silêncios. Para perceber a importância da participação desses
elementos sonoros na organização da linguagem falada, basta observar alguém que
esteja se comunicando em voz alta:
você vai notar que essa pessoa controla os recursos vocais mencionados para que suas
frases se articulem significativamente. Assim, as frases faladas e os recursos vocais que
as organizam constroem os textos falados.
Na escrita, os elementos vocais da linguagem são substituídos por um sistema de sinais
visuais que com eles mantêm alguma correspondência. Esses sinais são conhecidos
como sinais de pontuação e seu papel na língua escrita é semelhante ao dos elementos
vocais na língua falada: participam da estruturação das frases na construção dos textos
escritos. O estudo do emprego dos sinais de pontuação está ligado à percepção de seu
papel estruturador na língua escrita. Isso significa que não se aprende a usá-los partindo-se
do pressuposto de que eles representam na escrita as pausas e melodias da língua
falada: não é esse o papel desses sinais. O estudo de seu emprego baseia-se na
organização sintática e significativa das frases escritas e não nas pausas e na melodia
das frases faladas.
Levando em conta tudo isso, decidimos organizar o estudo da pontuação tomando como
ponto de partida os estudos de Sintaxe. Você perceberá, assim, que o conhecimento da
organização sintática da língua portuguesa é um poderoso instrumento para que se
alcance a pontuação correta e eficiente.
Neste primeiro capítulo, vamos falar dos sinais que delimitam graficamente as frases.
Observe:
a) o ponto final (.) é utilizado fundamentalmente para indicar o fim de uma frase
declarativa:
Não há país justo sem equilíbrio social.
Não é possível que ainda se pense que há pessoas que têm mais direitos do que outras.
"A vida é a arte do encontro, embora haja muito desencontro pela vida." (Vinicius de
Moraes)
b)o ponto de interrogação (?) é o sinal que indica o fim de uma frase interrogativa
direta:
O que você quer aqui?
Até quando os brasileiros vão se negar a entender que miséria e desenvolvimento
são inconciliáveis?
Nas frases interrogativas indiretas, utiliza-se ponto final:
Quero saber por que você não colabora.
c) o ponto de exclamação (!) é o sinal que indica o fim de frases exclamativas ou
optativas (as que expressam desejo):
Que bela companheira você é!
Que Deus te acompanhe!

\Também pode ser usado para marcar o fim de frases imperativas:
- Vá-se embora! 1
É comum como recurso de ênfase a repetição do ponto de exclamação ou sua
combinação com o ponto de interrogação:
Quê?! De novo?! Não suporto mais isso!!!
Ele outra vez?! Não!!
d) o sinal de reticências (...) indica uma interrupção da estrutura frasal. Essa interrupção
pode decorrer de hesitação de quem tem sua fala representada ou pode indicar que se
espera do leitor o complemento da frase (muitas vezes com finalidade irônica):
Veja bem, não sei... Quem sabe seja... É, na verdade eu não sei...
Bem, eu queria... Você sabe muito bem o que eu quero...
O árbitro é muito eficiente, mas os auxiliares...
Pelo jeito, ainda será preciso esperar muito tempo para que os brasileiros compreendam
em que consiste a verdadeira modernidade social...
Também o sinal de reticências é constantemente combinado com pontos de interrogação
ou exclamação, para acrescentar à frase particularidades de significado:
Você faria isso por mim?...
De novo!...
e) na representação gráfica de diálogos, utilizam-se os dois pontos (:) e os travessões (-):
Depois de um longo silêncio, ele disse:
- É melhor esquecer tudo.
- É melhor esquecer tudo - disse ele, depois de um longo silêncio.
- É melhor - concordei.

Também é possível empregar vírgulas no lugar dos travessões intermediários:
- Convém tentar esquecer tudo, disse ele, para que ninguém mais seja prejudicado.
A situação parece ter chegado a um impasse. "Muitos sem-terra atingiram os limites do
desespero", afirmou o sociólogo, "e parecem decididos a ir até o fim".

ATIVIDADES

1. Foram retirados os pontos finais dos períodos que formam o parágrafo seguinte.
Recoloque-os.
a idéia de que a violência provém da má índole dos indivíduos que a praticam é bastante
generalizada ouvem-se com bastante frequência grupos de cidadãos que exigem maior
eficiência da policia e até mesmo a intervenção do Exército como forma de garantir a
segurança dos indivíduos e seu patrimônio mais raras são as vozes que se levantam para
denunciar uma sociedade hipócrita em que aqueles que pousam como pais de família
exemplares se transformam em exterminadores sem escrúpulos assim que seguram o
volante de um automóvel saliente-se que nesse caso a culpa é atribuida à neurose do
trânsito das grandes cidades e não à má índole individual

2. Foram retirados os sinais de pontuação que indicam o final dos períodos que formam
o parágrafo seguinte. Recoloque-os.
há efetivamente um conjunto de brasileiros que se comportam como se as leis não lhes
dissessem respeito o convívio social não passa de uma forma de lhes satisfazer os
desejos as obrigações inerentes a qualquer forma de sociedade pertencem
excluvisamente aos outros seria importante saber o que efetivamente produzem esses
indivíduos para o bem da comunidade são eles seres verdadeiramente sociais a resposta
a essa pergunta pode dar inicio à redescoberta da noção de bem-comum

3. Crie um diálogo em que você utiliza pontos de exclamação, pontos de interrogação,
reticências e travessões.

3 comentários:

  1. muito legalllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll aprendi varias coisas

    ResponderExcluir